sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

"E eu te pergunto, no evangelho, o que diria Jesus?"




Mais uma vez entre as tantas que assisti ao vídeo "A Graça da Garça" e parei pra refletir. Confesso que por todas as outras vezes que assisti, tal frase (a do título), não havia me feito tanto efeito. Só que agora, depois de assistir e de "ruminar" (dá-lhe Pastor Alvir!) sobre a mensagem sabiamente dita no vídeo, essa frase não sai da minha cabeça.

Vivi 14 anos dentro de uma mesma igreja a qual muito me feriu. Me abençoou em muitos momentos, tive boas experiências com Deus alí, mas também me deixou muitas marcas. Marcas que foram difíceis de fazer cicatrizar e parar de doer, mas Deus foi fiel a mim e graças a Ele hoje tenho 'pequenas cicatrizes', que apenas indicam que um dia eu passei por aquilo alí, mas superei.

Olho pra trás, relembro esses maus momentos e vejo que uma simples pergunta evitaria muita dor: "No evangelho, o que diria Jesus?". Se eu tivesse me perguntado, se tivesse me questionado, ah... como seria diferente! Como eu teria sido mais forte, como eu teria sido mais preparada se recorresse às Escrituras...

E o pior de tudo, é saber que não apenas eu passei por isso. Pelo contrário, olho ao meu redor e o que mais vejo são pessoas totalmente manipuladas e facilmente levadas pelo que ouvem nos púlpitos, assim como eu também fui um dia. Não, pastores não são pessoas que não merecem nossa credibilidade e atenção! Pastores são bençãos, e o que eles dizem também... mas somente com uma condição: é bíblico?

Não estou aqui com um grupo de amigos propondo uma rebelião. Não estou aqui querendo que você enxergue teu pastor como um alvo de desconfiança, não, não é nada disso... estou aqui, humildemente, pra incitar a todas as pessoas que estão lendo esse texto a TUDO quanto ouvirem se perguntarem: "No evangelho, o que diria Jesus?". Afinal, é só isso o que realmente importa.

Quando começar a se perguntar, a querer conhecer, vai enxergar que o grande plano de Deus pra tua vida não é que você seja milionário, mas sim que um dia pudesse estar no céu junto a Ele, através da salvação em Jesus Cristo. Vai enxergar também que não é a quantidade de nada que você faz que importa... não! O importante mesmo é a sinceridade do teu coração e a tua motivação. Vai enxergar que você não precisa de um incentivo a mais pra adorá-Lo além de ter recebido o imerecido perdão, que isso é tudo. Vai enxergar que o evangelho pregado por Jesus era onde cada um de nós nos diminuíamos ao máximo, a servos uns dos outros, não esse evangelho fajuto e egocêntrico pregado onde frases como 'você pode, você vai conquistar!', 'você não é cauda, você é cabeça!' fluem como um verdadeiro rio de heresias e agressões ao cristianismo.

Mas, como não poderia deixar de citar, não pense que isso vai ser sempre muito fácil. Vão te acusar muitas coisas, virarem as costas e te tratarem como rebelde. Mas, e daí? Será que Jesus também está chateado com você por você simplesmente buscar viver as coisas dEle em sinceridade e conformidade com o que Ele próprio ensinou? Acho que não...

"E, tendo orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com ousadia a Palavra de Deus." Atos 4:31

"Porque Deus não nos deu espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação." II Timóteo 1:7

Ousadia pra valer não é apenas invadir uma boate e pregar um falso evangelho. Haverá de ter muita ousadia, sim, em estar entre os próprios cristãos e ir contra o sistema, não se adequar a nada que não tenha respaldo bíblico. Isso é ousadia, esse é o nosso espírito.

Portanto, sempre com amor, moderação e muita ousadia, perguntem-se: "No evangelho, o que diria Jesus?" e então vejam com seus próprios olhos que a situação está muito pior que esse texto seria capaz de expressar.

4 comentários:

  1. Fantástico! Louvado seja o nome do Senhor Jesus!

    ResponderExcluir
  2. muito bom!

    Laís Alencar

    ResponderExcluir
  3. a graça da garça a arte de viver em meio a lama sem sujar as vestes!

    ResponderExcluir

Neste espaço você pode deixar seu comentário. Sua opinião é extremamente importante para nós.

Evite comentar como anônimo. Procure sempre identificar-se pelo nome em seus comentários para que seja garantido seu direito democrático neste blog.

Estamos abertos a críticas construtivas, pois elas nos fazem refletir e melhorar.

Aos repetidos comentários sobre julgamento:
Não julgamos pessoas ou a intenção de seus corações, pois isso não está ao alcande de homens. Julgamos ideias e, se fazemos isso, temos apoio nas Escrituras.

Caso queira saber mais sobre o julgamento cristão, clique aqui.